Alcoolismo na adolescência: como lidar

Há quatro anos, um estudo já mostrava dados alarmantes: no Brasil, cerca de 80% dos jovens revelavam já ter experimentado bebida alcoólica e mais

de 20% corriam o risco de desenvolver o alcoolismo, ou seja, a dependência do álcool. Nas festas e encontros entre adolescentes, o consumo dessas bebidas se torna cada vez mais comum, e os pais, com toda a razão, estão se preocupando com esses jovens.

Primeiramente, por que não é recomendável o consumo de álcool antes dos 18 anos de idade? Ele pode ser o caminho que conduz ao fumo e às drogas ilícitas, diminui os reflexos, aumenta as chances de o adolescente se envolver em algum acidente ou de ter relações sexuais sem proteção, e pode prejudicar a saúde como um todo no futuro. Além disso, o álcool também prejudica o pleno desenvolvimento do sistema nervoso central do jovem.

E em toda essa situação, qual é o papel dos pais? Em primeiro lugar, para evitar o alcoolismo na adolescência, devem dar o exemplo. Se o álcool é consumido sem controle dentro de casa, a tendência é que o jovem siga esse caminho, por isso, esse é o ponto mais importante. Devem estar abertos ao diálogo, para que o filho se sinta à vontade para conversar sobre como ele se sente a respeito do consumo de álcool.

Os pais devem educar impondo limites. Na adolescência, os filhos vão querer ir a festas e os pais podem permitir, mas estabelecendo um horário para voltar para casa e, de preferência, sabendo quem vai estar na confraternização. Procure conhecer os amigos do seu filho, já que as influências muitas vezes são determinantes para fazer um jovem entrar no mundo do alcoolismo.

Explique para o seu filho adolescente quais são os males provocados pelo consumo de bebida alcoólica. Se você simplesmente proibir, corre o risco de despertar uma tendência ainda maior ao consumo. A palavra correta é orientar, para que ele entenda os efeitos destrutivos do álcool no organismo. Por fim, não ofereça bebidas alcoólicas, faça a sua parte para manter seu filho longe desse vício terrível, que infelizmente tem destruído inúmeras famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*