Consequências do consumo de álcool e fumo na gravidez

A gravidez é um período na vida da mulher que merece muitos cuidados especiais, como acompanhamento de um obstetra, alimentação correta e balanceada, e corte dos hábitos que podem fazer mal ao bebê

, como fumar e ingerir álcool. Tanto o fumo, quanto as bebidas alcoólicas se tratam de substâncias tóxicas capazes de afetar o desenvolvimento do bebê, de forma irreversível, na maioria das vezes.

O cigarro aumenta as chances de ocorrência de aborto espontâneo e de nascimento prematuro. Além disso, é comum que os bebês que nascem de mulheres que fumam venham ao mundo abaixo do peso classificado como ideal por especialistas. Isso acontece porque o hábito de fumar torna a mãe mais vulnerável e aumenta as chances de que haja sangramento, ou até complicações referentes à placenta. A substância mais nociva do cigarro é o monóxido de carbono, responsável por muitos transtornos à saúde.

Ao fumar um único cigarro durante a gestação, o bebê sofre uma aceleração nos batimentos do coração devido aos efeitos da nicotina. Isso faz com que o coração da criança seja afetado. Lembrando que na época da amamentação, também, o hábito do fumo deve ser evitado, já que a mãe passa para o bebê as substâncias tóxicas através do seu leite.

Em relação às bebidas alcoólicas, essas também são muito nocivas à saúde do feto. A má formação do bebê é um dos principais transtornos relacionados ao abuso do álcool durante a gravidez, além de ser capaz de afetar o crescimento, causar problemas na face, desenvolver retardo psicomotor e retardo intelectual. Assim, mesmo que seja apenas um copo de bebida, é algo que deve ser extremamente evitado pela gestante.

A bebida, ainda, está relacionada a outros problemas que podem afetar o bebê, como a abstinência alcoólica. Nos casos em que a mãe sofre de alcoolismo, por exemplo, é comum que os bebês nasçam com a abstinência, o que causa muito sofrimento à criança, que necessita de internação e remédios administrados desde quando nasce. A chance de sofrer um aborto, assim como em relação ao fumo, também aumenta. Por isso, o ideal é abandonar esses hábitos nocivos e realizar um acompanhamento completo da gravidez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*